Evolução das firmas de caixilharia

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/emprego-na-construcao-regional-volta-a-crescer-image-890x500.jpg

Evolução das firmas de caixilharia

Entre 2018 e 2020, o setor da construção em Portugal irá crescer 7,1% ao ano, acima da média europeia, de acordo com as previsões de junho da Euroconstruct, disponibilizadas pela Tecninvest, parceiro português daquela entidade europeia para uma evolução anual da ordem dos 2,7%.

De acordo com as previsões da Euroconstruct, o sector da reabilitação e renovação de edifícios vai liderar o crescimento, estimando-se que cresça 12,2% nos próximos dois anos. Seguir-se-á a construção de casas novas, onde o aumento previsto para estes três anos é de 4,5%, enquanto no caso dos novos edifícios não residenciais o acréscimo médio anual será de 4%.

Ao nível dos países do Sul da Europa, Portugal é de todos os países que apresenta maiores perspetivas de crescimento no setor da construção. A taxa de crescimento prevista para este ano é mais alta em Portugal (7,7%) e mais baixa em Itália (2%). Para Espanha aponta-se para 4,8%.

Em 2017, segundo dados do INE, a produção na construção aumentou 2,2%, depois de uma quebra de 3,9%. O setor da Construção deverá manter uma “trajetória positiva” em 2018. A Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) já tem estimativas: prevê um crescimento de 4,5% no próximo ano. O ritmo, ainda assim, vai abrandar face a 2017,  ano em que foi registado um crescimento de 5,9%.

Em 2017, a produção voltará a superar os 11.000 milhões de euros (11,3 mil milhões de euros), repartida em partes idênticas pelos edifícios (residenciais e não residenciais) e obras de engenharia. Se a previsão da FEPICOP se confirmar, a produção em 2018 valerá 11,8 mil milhões, o equivalente a 6,6% do Produto Interno Bruto (PIB).