Querido Mudei a Casa – Obras

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/IMG_7103_4_5-3.jpg

Querido Mudei a Casa

O “Querido Mudei a Casa – Obras” abriu, este mês  21 JUNHO 2018, na Avenida da Lagoa, em Pataias, a primeira unidade no concelho de Alcobaça com o“Querido Gouveia”.

Esta unidade é especialista em bricolage & instalações, carpintaria, pavimentos, caixilharia, tetos falsos & divisórias, canalização e pintura. “O nosso trabalho vai desde o projeto de arquitetura ao acabamento final, tal como se vê na televisão“, frisa Cyril Gouveia, responsável pela Querido Gouveia.

Com várias parcerias com empresas da região, a loja destaca-se pela “qualidade acima da média, pelo aconselhamento de obras e pela chancela da marca conhecida de todos”, sublinha o empresário, que já era parceiro do programa da TVI.

Candidatura: Dado o elevado número de contactos, cartas e emails que recebemos, só as candidaturas seleccionadas serão contactadas pela Produção. As candidaturas não são sujeitas a sorteio: basta enviar-nos uma candidatura, e apenas 2 fotos, por cada divisão, para esta poder ser seleccionada. O processo de selecção não funciona pela quantidade, como nos passatempos. O envio de vária candidaturas iguais só prejudica o trabalho de selecção e atrasa todo o processo.

As remodelações são uma área em que adoramos trabalhar pois, ao contrário da construção nova, todas as remodelações são diferentes e apresentam um novo desafio. Uma boa remodelação permite tornar o espaço mais interessante ao combinar designs modernos, materiais de diferentes épocas e arquiteturas antigas. Na remodelação de espaços existem duas áreas de intervenção que se devem complementar para que o plano de intervenção seja consistente com os objetivos que se definiu: a decoração e a arquitetura de interiores. Na arquitetura de interiores todos os elementos que influenciam a funcionalidade, o conforto e a harmonia de um espaço são pensados ao pormenor. A arquitetura de interiores atua sobretudo ao nível dos materiais, acabamentos e iluminação.

Evolução das firmas de caixilharia

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/emprego-na-construcao-regional-volta-a-crescer-image-890x500.jpg

Evolução das firmas de caixilharia

Entre 2018 e 2020, o setor da construção em Portugal irá crescer 7,1% ao ano, acima da média europeia, de acordo com as previsões de junho da Euroconstruct, disponibilizadas pela Tecninvest, parceiro português daquela entidade europeia para uma evolução anual da ordem dos 2,7%.

De acordo com as previsões da Euroconstruct, o sector da reabilitação e renovação de edifícios vai liderar o crescimento, estimando-se que cresça 12,2% nos próximos dois anos. Seguir-se-á a construção de casas novas, onde o aumento previsto para estes três anos é de 4,5%, enquanto no caso dos novos edifícios não residenciais o acréscimo médio anual será de 4%.

Ao nível dos países do Sul da Europa, Portugal é de todos os países que apresenta maiores perspetivas de crescimento no setor da construção. A taxa de crescimento prevista para este ano é mais alta em Portugal (7,7%) e mais baixa em Itália (2%). Para Espanha aponta-se para 4,8%.

Em 2017, segundo dados do INE, a produção na construção aumentou 2,2%, depois de uma quebra de 3,9%. O setor da Construção deverá manter uma “trajetória positiva” em 2018. A Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) já tem estimativas: prevê um crescimento de 4,5% no próximo ano. O ritmo, ainda assim, vai abrandar face a 2017,  ano em que foi registado um crescimento de 5,9%.

Em 2017, a produção voltará a superar os 11.000 milhões de euros (11,3 mil milhões de euros), repartida em partes idênticas pelos edifícios (residenciais e não residenciais) e obras de engenharia. Se a previsão da FEPICOP se confirmar, a produção em 2018 valerá 11,8 mil milhões, o equivalente a 6,6% do Produto Interno Bruto (PIB).

Casas em Portugal

Ayrton Lolô Cornelsen visita o condôminio na Vila Camões. Fotos: André Rodrigues

Casas Portuguesas

Um estudo recente afirma que a maioria dos portugueses considera viver em casas frias e energicamente desconfortáveis no inverno. Portugal tem a electricidade mais cara da Europa e, por isso, são elevados os gastos de energia para responder ao frio.

Uma investigação de 2003 da Universidade de Dublin concluía, já então, que Portugal era um dos países com maior taxa de mortalidade por falta de aquecimento ou isolamento das habitações. Apesar de Portugal ser dos países europeus com condições mais favoráveis à poupança de energia, mesmo no inverno, é o quarto país com a electricidade mais cara na Europa. Foram inquiridas cerca de mil pessoas em Portugal continental, através de questionários online, e os resultados indicam que cerca de 74 por cento consideram que a casa onde vivem é fria no inverno, 25 por cento dizem que é quente no verão e só um por cento da população inquirida considera as respetivas casas termicamente confortáveis.

Dos 74 por cento que consideram viver numa casa fria, 35 por cento dizem colmatar as necessidades de aquecimento usando mais roupa e mais equipamentos eletrónicos, 21 por cento recorrem apenas a mais equipamento e 20 por cento usam mais roupa. Destes 74 por cento, 21 por cento afirmam ainda que os gastos de energia para melhorar as condições térmicas nas habitações aumentam quase o dobro e cerca de 24 por cento referem ter pessoas em casa com prolemas de saúde devido à falta de conforto térmico.

Convém que os decisores governamentais e os municípios estudem mais detalhadamente estas influências, para perceber o que se pode fazer para evitar problemas graves de desconforto térmico

Casas em três dias

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/Japan_Kyoto_Houses_542649_1280x853.jpg

Casas em três dias

Distinguido como um dos arquitetos mais promissores da Europa tem dado nas vistas graças a um sistema arquitetónico modular que permite construir edifícios em tempo recorde.

A europa tem um sistema arquitetónico modular que permite construir edifícios em tempo recorde. Hoje em 2018 temos bastante população a viver nas grandes cidades, mas especulasse que 2050 vai duplicar esse valor.

Um arquitecto criou um projeto em betão armado, que saem da fábrica completamente prontas. E isso faz com que necessitemos de desenvolver estratégias e soluções com grande rapidez. Caso contrário, as cidades vão colapsar.

Aqui esta um sistema rápido de implementar, de alta resistência estrutural e fácil de transportar, que já sai da fábrica finalizado, isso inclui acabamentos interiores e exteriores, isolamentos, caixilharias, instalações de água e electricidade e até peças de mobiliário fixas tudo pronto e pronto para ser habitado.

Um edifício misto construído recentemente em Vale de Cambra e um Centro de Incubação e Inovação Industrial em Arouca, ainda em fase de projeto, são dois dos exemplos práticos de um sistema que tem merecido o reconhecimento de arquitetos de todo o Mundo. E em 2017, quando foram distinguidos, em Singapura, pelo “Red Dot Design Award”, um dos maiores concursos de design a nível mundial, na categoria “habitat”. Foi assim também 2017, quando Samuel Gonçalves foi considerado um dos jovens arquitetos mais promissores da Europa, no concurso internacional “Europe 40 Under 40”.

No currículo do Samuel Gonçalves,  há ainda uma passagem enriquecedora pelo Chile, onde pôde passar mais de um ano a trabalhar ao lado de Alejandro Aravena, vencedor do Prémio Pritzker 2016

Penhoras

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/penhoras-770x433.jpg

Penhoras

Há menos casos de penhoras de imóveis em Portugal. Em 2016, o número desceu para níveis de 2011, o ano em que a troika chegou. A melhoria da situação económica do país e a redução da taxa de desemprego ajudam a explicar esta redução. Segundo dados do Ministério da Justiça, a que o DN/Dinheiro Vivo teve acesso, em 2016 o número de bens imóveis penhorados em tribunais de primeira instância atingiu os 9581. Trata-se de uma descida de 4% face a 2015, ano em que se registaram 9982 execuções de penhoras de imóveis pelos tribunais. O valor fica abaixo dos 9612 de 2011, ano em que o país pediu ajuda financeira externa.

Em 2016 foi introduzida a Lei n.º 13/2016 de 23 de maio, que veio alterar o Código de Procedimento e de Processo Tributário, para proteger a casa de morada de família no âmbito de processos de execução fiscal.

Mas para a Deco as famílias continuam desprotegidas e em risco de perder a sua habitação devido a outro tipo de dívidas, incluindo de baixo valor, créditos e em casos em que são fiadores de terceiros.

É que se as famílias perdem as casas é porque a penhora levou a vendas judiciais a preços abaixo do valor patrominial, isto é ilegal. A penhora de recebíveis de cartão de crédito equipara-se ao faturamento da empresa e pode ser decretada pelo Judiciário contra uma empresa inadimplente com o fisco, desde que não exista outro bem para constrição e seja fixado percentual capaz de manter a atividade empresarial, sob pena de a medida judicial tornar inócuo o processo.

Comprar casa

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/economia-casa-propria-825x542.jpg

Comprar casa

As garantias bancárias são, então, estratégias que os bancos têm para se precaver e, caso o cliente deixe de pagar as prestações do seu empréstimo, consigam de alguma forma reaver o montante que foi emprestado.

Entrada inicial – Se der entrada com um determinado valor, a instituição bancária entende que se tem dinheiro disponível para essa situação “em princípio será uma pessoa que gere bem as suas finanças pessoais e será capaz de cumprir com o pagamento das prestações mensais.

Garantia de imóveis – Se não cumprir com o pagamento do empréstimo, a instituição bancária na qual contraiu o crédito à habitação poderá iniciar um processo judicial para recuperar o valor o crédito e, em última instância, ser-lhe-á retirada a habitação, visto que esta é uma garantia bancária do financiamento.

O seguro de vida é obrigatório – O seguro de vida inclui, normalmente, as coberturas de invalidez e morte. Este garante a liquidação da dívida do crédito no caso de o titular do seguro ficar incapacitado para trabalhar ou no caso de morte do mesmo.

Garantia de outros imóveis – Existe uma opção relativamente à garantia hipotecária: esta poderá ser atribuída a outro imóvel que não o correspondente ao crédito à habitação, desde que seja um imóvel livre de encargos ou outras hipotecas.

Ter um fiador para o seu crédito à habitação – O fiador é responsável pelo pagamento do empréstimo, caso o cliente entre em incumprimento. Embora os devedores entrem primeiro em negociações com a instituição financeira, a verdade é que, se o pagamento não for feito, o fiador é responsabilizado para responder à dívida em questão.

Vidro nas obras

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/casa-de-vidro-8.jpg

Vidros nas obras

Há tempos que o vidro tem sido a opção da grande maioria das pessoas. Além de possuir diferentes designers, o que é atrativo para utilização, ele traz sutileza, permite a entrada de luz natural, transparece seriedade e é altamente adaptável a várias circunstâncias. Independentemente do projeto arquitetônico, desde uma solução simples, até uma mais sofisticada, o vidro pode estar presente como piso, divisória, entre tantas outras coisas, mas, ainda hoje, a maior procura é para compor portas e janelas. Embora ele seja aparentemente frágil, existem processos de temperamento que o tornam extremamente resistentes, inclusive podendo ser utilizado como parte da estrutura. Um exemplo é quando se vê esse material em escadas, rampas e varandas.

A economia também é um dos pontos fortes, principalmente no que se refere à manutenção periódica, sem deixar de lado a beleza e a proteção que proporciona. Outra vantagem é que ele permite a entrada de luz natural, gerando economia de energia elétrica, além de ter fácil instalação. As esquadrias com vidro instalado, por sua vez, facilitam ainda mais a agilidade das obras, sem perder a qualidade.

Se fosse seguir o método tradicional, primeiramente seriam instaladas as esquadrias, para então um vidraceiro realizar o trabalho. Com o recurso das esquadrias com vidro instalado, tudo é realizado de uma só vez, com a garantia da qualidade, uma vez que a empresa se preocupa em seguir todos os devidos procedimentos de segurança e as especificações determinadas pelos órgãos reguladores.

Principalmente quando se está com a responsabilidade de aprovar o projeto e a execução das atividades, várias são as preocupações, entre elas o tipo e a quantidade de material que serão necessários. Nesse sentido, as empresas têm buscado soluções para facilitar os trabalhos e reduzir o tempo de finalização da obra, com produtos de qualidade, como é o caso das esquadrias com vidro instalado.

Casa Eficiente 2020

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/HUF-Dorf-Musterhauszentrum-ART-5-17-1200x800.jpg

Casa Eficiente

A eficiência energética é uma das áreas nas quais Portugal tem mais investido e os resultados têm sido bastante interessantes. Com o objetivo de melhorar o desempenho ambiental dos edifícios de habitação particular, com especial enfoque na eficiência energética e hídrica, bem como na gestão dos resíduos urbanos, o governo lançou recentemente o Programa “Casa Eficiente 2020”.

  • Melhorar a eficiência energética do parque habitacional.
  • Promover a utilização de energias renováveis.
  • Melhorar a eficiência hídrica do parque habitacional.
  • Otimizar a gestão de resíduos sólidos urbanos.
  • Remover materiais prejudiciais à saúde e ao ambiente;
  • Estimular comportamentos ambientalmente responsáveis.

Seja para investir ou morar com a família, uma residência com ares de casa de campo e design romântico é sempre uma boa sugestão.  Ela traz toda a segurança do condomínio fechado e a comodidade de ter boas vias de acesso, escolas e supermercados próximos.

O Programa “Casa Eficiente 2020” disponibiliza 200 milhões de euros de incentivo para obras na habitação particular para melhorar a eficiência energética, sendo que as janelas eficientes CLASSE+ estão incluídas nas tipologias de intervenção previstas. A etiqueta energética CLASSE+ é uma exigência técnica do Programa para as janelas a instalar, que deverão ter classificação “B” ou superior. As janelas também deverão ser instaladas por técnicos com certificado CERTIF de “Instalador de Janelas Eficientes CLASSE+”. A ficha técnica do Programa relativa “Intervenções na envolvente envidraçada do edifício” identificam essas exigências e recomendações.

O Programa de Eficiência Energética na Administração Pública “ECO.AP”, lançado pelo XVIII Governo Constitucional através da Resolução do Conselho de Ministros n.º2/2011, de 12 de janeiro, tem como objetivo obter até 2020, nos serviços públicos e nos organismos da Administração Pública, um nível de eficiência energética de 30%,

Startup portuguesa investe para fabricar janelas em fibra de vidro

http://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/investe-janelas.jpg

A startup do Francisco Pereira Branco vai mexer com milhões de euros, com vasta experiência em caixilharia conseguiu arranjar uma maneira mais construtiva de utilizar as janelas em fibra de vidro. O projeto, que arrancou em 2011, começa agora a dar frutos. As janelas Boavista, da marca FWD, já estão instaladas em edifícios portugueses e britânicos e, em breve, vão chegar a outros mercados. No ano passado, a empresa faturou um pouco mais de 200 mil euros, com 45% das vendas a serem asseguradas no Reino Unido.

Este ano 2018, a FWD já assegurou obras para a Bélgica, Alemanha, Suíça e Gibraltar. Com estas encomendas no exterior, a que se somam as nacionais, Francisco Pereira Branco prevê fechar o ano com um milhão de vendas, com a exportação a valer 50%.

Francisco Pereira Branco tem o negócio bem desenhado. As janelas em fibra de vidro foram pensadas como um produto global. E dá o exemplo da Índia e da Indonésia, países que sofrem chuvas ácidas, e onde a fibra de vidro constitui uma barreira estável a essas águas poluídas.

A fibra de vidro é um material com um elevado isolamento térmico e acústico, durabilidade, adaptabilidade mecânica (permite grandes vãos) e uma pegada ecológica reduzida.

A FWD deverá crescer a bom ritmo até 2022, ano em que atingirá a velocidade cruzeiro. Para já, o plano prevê uma faturação de três milhões em 2019 e a sua duplicação em 2020. O valor será atingido no próximo ano, estima o responsável. Para acompanhar este processo de crescimento, está já em carteira um segundo ciclo de investimento, desta vez no reforço da unidade fabril, no valor de 250 mil euros. A FWD emprega atualmente 15 pessoas.

Soluções para o ciclo completo de água

Sustentabilidade do Ciclo da água

Efectuamos a construção completa dos sistema de águas (começando pela fonte, passando para distribuição e terminando com o retorno das águas residuais aos pontos de reprocessamento).

Garantimos todas as normas de segurança e exigências por lei, todo o processo de manutenção esta assegurado para que não haja mau funcionamento ou algum factor sem nexo.

Uma das preocupações dos responsáveis pelas instalações hidráulicas é assegurar a pureza da água em todo o processo pois a água é destinada ao consumo humano por isso é necessário uma especial atenção no que toca ás necessidades humanas.