Energia Geotérmica

https://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/energia-e-poder-da-terra-1.jpg

Devido às novas tecnologias conseguimos aproveitar energia do subsolo. Essa fonte de energia proveniente do calor da crosta terrestre, com temperaturas a rondar os 25ºC  é o suficiente para que existe aquecimento de edifícios e obtenção de água quente.

A uma profundidade de 14 metros, a temperatura do subsolo tem uma estabilidade de cerca de 15ºC e por cada 100 metros de profundidade, a temperatura aumenta em aproximadamente 3ºC.

Utilização com a energia geotérmica

https://benepvc.com/wp-content/uploads/2018/06/geotermiagrafico.jpg

Apresentação Smart Guard

Smart Guard Presentation

Com este sistema de segurança sinta-se seguro em qualquer lugar, pois a nossa assistente pessoal esta constantemente a monitorizar o seu comportamento.

De fácil implementação, sistema universal e com sensores inteligentes. É o que fornece alto desempenho a todas as suas funções.

Já se encontra em vários edifícios, como nos aviões, barcos, alguns carros, barreiras de intrusão e nos perímetros de protecção.

A tecnologia que utilizamos varia para o caso, temos câmeras de diversas vertentes desde visão 360º graus ou de grandes profundidades, controlos de acesso de multi-funcionalidades uns que enviam sinal para a central ou que emitem um som e até reconhecimento facial. Como pode comprovar dispomos de equipamento necessário para o trabalho.

Temos como missão melhorar o relacionamento entre os nossos colaboradores e a segurança tecnológica. A transparência do nosso serviço é crucial com quem colabore connosco, informamos como é feita a instalação e o funcionalismo detalhado para que esteja sempre ciente de todo o processo que esta a decorrer. Temos por norma garantir toda a satisfação da sua necessidade.

Com este serviço os sectores de transportes tornaram-se mais confiáveis e mais apreciáveis, pois os registo de furtos diminuíram.

Energia solar vai crescer 20 vezes nos próximos anos em Portugal

Depois da energia hídrica e eólica, Portugal tem de começar a olhar para a energia solar. Apesar de ser um dos países com mais insolação na Europa, Portugal está na cauda dos países produtores. A capacidade instalada deverá crescer 1.900% até 2030. O sector pede ao Governo definição de regras para o grande solar.

É que o sol que brilha sobre Portugal tem duas vantagens para a produção de energia. Primeiro, a mais óbvia, é que o temos mais sol e durante mais horas do que os países do Norte da Europa. Em segundo, as temperaturas em Portugal não são tão elevadas como no Norte de África. É que os painéis foto-voltaicos diminuem a eficiência de forma significativa com o aumento da temperatura.

“Governo tem margem para investir nas renováveis”

Governo tem margem para as Energias Renováveis, fez a sua primeira aparição perante as empresas do sector das renováveis e garantiu que as energias limpas estão na sua agenda. O Governo quer agilizar o licenciamento de parques eólicos e solares para não ficarem meses ou anos na prateleira.

Mas a aposta nas renováveis não se trata apenas de ideologia, com o governante a sublinhar o racional económico deste caminho. Quando falamos em ter um equilíbrio nas nossas finanças, é evidente que as renováveis têm de fazer parte da solução. O Governo vai dar uma atenção especial ao licenciamento.

Uma casa mais cómoda, que gasta menos energia e custa o mesmo a construir? Assim é uma Passive House

Portugal e as Casas passivas já começou a aderir à moda internacional das chamadas Passive Houses (casas passivas) que normalmente se utilizam nos lares) e à minimização das perdas de ventilação com um sistema controlado com recuperação de calor, a habitação passiva não necessita dos mecanismos de refrigeração e de aquecimento convencionais. As necessidades de aquecimento são inferiores a 15 kWh/m2 por ano, o que pressupõe uma redução de mais de 90% em média.